Diário

O punheteiro.

Fiquei um pouco sem jeito no início. Ele falava pouco, se sentou num canto da cama e parecia estar aborrecido. Ficou um clima estranho, pediu para eu não me preocupar porque aquele era o seu jeito, e que eu não me preocupasse com a penetração. Tentei puxar um assunto e o tempo todo pensando como iria mudar aquele cenário.

Até que tomei a decisão de me aproximar, comecei a tocá-lo,  ele se despiu, não pensei duas vezes e iniciei o oral. Foi assim meio mecânico mesmo, não tínhamos criado uma conexão para começar pelo beijo.

Mamei seu pau, ele abocanhou meus seios, acariciou meu corpo. Pediu para me fazer o oral, ficou um bom tempo sugando meu grelo. O safado adora mulheres greludas.

Até que em algum momento nos beijamos e revelou que queria o beijo bem molhado.

O clima ficou mais leve, me senti mais à vontade.

Depois de um bom tempo bati uma punheta e finalizou na minha boca. Não rolou penetração. Valeu, safadinho!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.